quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

O dia em que preguei um valente beijo à senhora da peixaria

Depois dela ter corrido um Pingo Doce inteiro à minha procura para me dizer que tinha encontrado uma caixa de camarão em promoção! Aí está uma funcionária de qualidade, um ser humano preocupado com as necessidades alheias. Querida senhora que levou logo ali duas valentes beijocas antes que se arrependesse de ter palmilhado tantos corredores por mim! Um bem-haja à gente do bem!

Let the fun begin 🎄

Como eu gosto do Natal!!!


sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

. . .

À saída do cabeleireiro, estou a andar e a olhar para uma montra (eu não olhava propriamente para a montra, mas mais para o meu reflexo!) e eis senão quando dou um encontrão brutal num escadote enorme com rodinhas e um senhor lá em cima a ajeitar as decorações de Natal. Na tentativa de compor o cenário, grito lá para cima "desculpe, não o vi" ... o senhor não estava nem aí para as minhas desculpas e consegui ouvir doces palavras como "andam sempre com os cornos no ar!"!
À noite, durante o Concerto de Natal do Conservatório, saio para ir buscar água. Saio, mas faço-o pelas portas de emergência com saída para... a rua! Contorno o edifício sob um dilúvio tremendo, vou ao bar buscar água num estado de meter medo (remember que tinha ido ao cabeleireiro) e quando vou para entrar sou barrada  porque estou sem bilhete e com uma garrafa de água que, como todos sabeis, é perigosíssima para levar para um espectáculo de crianças!!! (um bem-haja para as espertas que vinham atrás de mim e puseram as garrafas de água dentro das malas!).

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Ralações, é o que é!

Os senhores que ditam as tendências de moda têm de ser mais consistentes. Este é o meu franco e preocupadíssimo manifesto para o respeito com o comum dos mortais. Num ano a tendência é cabelos curtos vai daí a malta manda-se à tesoura, mas o que era em Dezembro de 2016 já não é em Janeiro de 2017 e vai daí, tau! cabelos compridos é o que se quer. Ora como entre estes deslumbramentos de moda dista apenas um mês, nós em elevada síncope cardíaca, lá nos esforçamos para deixar o cabelo crescer e, quando ele está aí pelos ombros (que é aquele lusco-fusco dos cabelos) vêem as tranças e o diabo a quatro numa altura em que não dá para coisa alguma. 
Mas se nos cabelos já é tenebroso, a minha franca ralação vai para as sobrancelhas... Meus senhores entramos aqui em terreno pantanoso. Um avisinho: muito cuidado quando pronunciarem tendências para uma matéria que me é tão cara. Num ano querem-se finas, no outro querem-se grossas. E nós que pedimos à Margarete para arrancar a pilosidade com linha para durar mais tempo, agora queremos deixar crescer e é o tanas, com ramagens ali por cima dos olhos porque para deixar crescer é do caraças, fora as falhas daqueles pêlos que uma vez arrancados jamais não voltam à vida!
Ralações, é o que é!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Coisa linda de sua mãe

Madalena - "Mãe...tu não nasceste para te zangares!"

Eu - "Como assim?"

Madalena - "Tu és sempre tão querida que até quando te zangas tens uma voz querida!... E quando ralhas comigo às vezes tenho imensa vontade de rir!!"

A conversa até começou bem com apelos à minha grande doce de mel, mas depois descamba quando percebo que a minha autoridade é cómica! 
Ai, a maternidade e as criancinhas, coisas tão lindas e fofas que só apetecem rifar!