quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Em modo zebra

Aos primeiros raios de sol, aqui a lixívia-andante anda de volta das loções corporais que tenham auto-bronzeador. Nas primeiras aplicações fico com um arzinho de verão espectacular, sem sair de casa fico com uma cor para lá da Califórnia. Acontece que com o passar do tempo começo a ficar tresmalhada, as mãos mais claras que o corpo e o começo a enjoar o cheiro (eu e os cheiros...). Depois temos a particularidade de eu ser este desastre que só Deus sabe, ser uma trapalhona de primeira e espalhar mal o creme, resultado: gozo geral das parvalhonas que privam diariamente comigo [Isto tudo para agradecer às minhas caras colegas que desde ontem não fazem outra coisa que não seja rir às minhas custas]. Qué que foi? Nunca viram uma pessoa em zebra?!

2 comentários:

  1. Descobri há pouco o seu blogue.
    Só tenho a dizer fantástico!! Alegria, loucura, ironia, sarcasmo e amor nas medidas certas!!
    Delicio-me a lê-lo!
    Também saí da cidade para o campo, também numa quinta e com muito sossego!
    Mas tenho saudades de Lisboa (apesar de lá ir todas as semanas). Tantas saudades que num outro dia, em plena hora de ponta no Saldanha, dei por mim a dizer em voz alta: "que saudades tenho do trânsito de Lisboa..."

    ResponderEliminar
  2. Obrigada! O meu estaminé é o vosso estaminé! Benvinda à parvoíce em forma de blog!
    Beijooo
    P.S. - subscrevo as saudades citadinas. até andar de metro passou a ser bonito! :)

    ResponderEliminar