sexta-feira, 22 de julho de 2016

Mantra "que safoda"!

Na altura de tomar decisões sou do caraças! Fico sempre com taquicardia, com os intestinos relaxados e a sensação de cabeça vazia. Parece que me deram uma martelada e eu ando ali azamboada sem saber se caio ou continuo caminho.
De maneiras que ando assim, no limbo entre o luto, a impaciência, o cansaço, o desgaste, a neura, a língua destravada, o que "safoda" e a lágrima... Não ando em mim, estou a pairar algures sem saber bem onde aterro. A bipolaridade assiste-me.
A maturidade deu-me ferramentas boas, como as de conseguir ver no escuro, de perceber que nada acaba tudo recomeça, e que quando as coisas estão equilibradas uma má notícia potencia a união.
Literalmente, que "safoda" e seja o que Deus quiser. Ele que nunca foi menino para me virar as costas, não é agora que me vai mostrar a sunga. 
E depois ... depois, olha bola pra frente que atrás vem gente!

P.S. - Hoje faço 16 anos de casada, estou longe do meu amor e a precisar do seu aconchego. Acabo de perceber, por um email de uma loja online, que ele encomendou uma nova máquina de lavar a loiça ... e rezo, canalizo todas as minhas preces para que ele não tenha tido a triste ideia de ma oferecer como prenda de aniversário! Aí é que "safoda" mesmo, porque uma mulher tem os seus limites!

Sem comentários:

Enviar um comentário