terça-feira, 7 de junho de 2016

Merda para a adolescência*

Fónix, o rapaz andava-me com uma crise existencial do tamanho do mundo. Não sabia quem era, o que era, quem sou e para onde vou... uma poesia deste género! Pensei cá para comigo "fica de alerta rapariga que é assim que as tretas começam, agarra em ti e no puto e pede ajuda". Vai daí arranjo-lhe um psicoterapeuta de gabarito com quem ele se entende lindamente e do qual rapidamente percebemos que o rapaz se estava a encontrar e a voltar a si. 
Porra, todas as semanas desembolso do belo para as sessões de terapia e ontem diz-me que depois de terminar o 12º ano quer parar um ano para reflexão e ... trabalhar no Continente! É pá, nada mal, o rapaz até pensou em ganhar alguns cobres para não viver alapado aos paizinhos, mas caraças pá, ainda a semana passada andava a ver como é que podia fazer para ir tirar Medicina em Espanha e hoje...Sonae com ele! Quer refletir? Pensar na vida? Mas este tipo ainda não percebeu que a democracia nesta casa é miragem?! Um ano de reflexão?! Pois, deve ter todo um percurso de vida para reestruturar, apagar erros do passado, mudar de estilo de vida, meditar e tornar-se um ser mais desligado do material e do terreno! Ups, de repente achei que estava a falar de uma epifânia ali entre os 40 e os 50 anos!
A sério, eu que nem sou de stressar com estas merdas, ontem fiquei irada. Anda aqui uma pessoa no esforço e este gajo todas as semanas deseja piamente uma coisa diferente e absorve-a como se fosse a última coca-cola do deserto! Pesquisamos, procuramos, contactamos esta e aquela pessoa que nos possa esclarecer, tudo porque não queremos que ele sinta que não valorizamos os seus interesses. E volta e meia aparvalha! Não tem a haver com o trabalho no Continente, por mim até podia ir para o Lidl, Pingo Doce ou Aldi (sempre me trazia as pernas de frango com molho barbecue que eu adoro!)
Tenho uma amiga que diz que o problema dos pais de hoje em dia é valorizarem demasiado a opinião dos filhos. Se calhar tem razão, e como ela é uma técnica altamente credenciada aproveito a deixa e quando a coisa estiver à beira de descambar para a parvoíce vou mandá-lo ir dar uma curva... pode ser que perceba que também sei sacar de teorias altamente elaboradas!

*nota-se muito que estou possuidinha?!

3 comentários:

  1. Voltaste... E em bom!!!
    Eu não sei o que te diga... penso quando for comigo!
    A adolescência é uma seca. Para nós, pais!
    (Mas também acho que valorizamos demasiado os miúdos...)
    Beijo enorme.
    Que bom ter te aqui novamente.

    ResponderEliminar
  2. Ola, olhe que talvez nao seja ma ideia.
    Conheco um caso bem proximo de um certo rapaz que no liceu reprovou por faltas. No 12o ano nao teve notas para entrar em nada.
    Ficou um ano lectivo para subir notas e fazer exames, mas...tcharan...foi trabalhar como repositor num supermercado. Foi o melhor abre-olhos da vida toda! Os proprios colegas lhe diziam:entao podias estar a estudar e estas aqui a carregar coisas ?
    Hoje eh um sr. engenheiro - nao reprovou ano nenhum na faculdade - e gosta muito do que faz.
    A melhor coisa que eu fiz para abrir os meus olhos foi ir trabalhar de hospedeira em congressos. Pensei que era dinheiro facil, mas horas em cima de tacoes a aturar todo o tipo de malucos...fizeram-me pensar...deixa-me meter a cabeca nos livros e depois serei eu a ir a congressos passear-me. E assim eh, mas serviu-me de licao para dar valor ao que cai do ceu.
    E que tal um part-time nas ferias???Um emprego num cafe ou bar? Toda a gente acha muita piada, mas depois quando as costas e pes doerem e aturar clientes malucos...capaz de achar que estudar sera melhor!
    Coragem e paciencia!

    ResponderEliminar
  3. Viva
    Pois eu também falo por experiencia, quis deixar os estudos e ganhar os meus trocos, mas só depois é que percebi o que é a vida!!! Concordo plenamente que é um "abre olhos", porque nunca ouvimos o que os nosso pais nos aconselham.... é com as cabeçadas que se aprende. No seu lugar deixava-o ir.
    Beijos AP

    ResponderEliminar