segunda-feira, 30 de maio de 2016

Separadas à nascença

Desde que a Adele apareceu para o mundo, que quem me rodeia diz que somos parecidas. Nunca nos vi com grandes semelhanças, mas nos entretantos ela emagreceu e os comentários aumentaram: "os olhos e a boca são igualzinhos", "até a cor de cabelo é igual", "os olhos...bem, são mesmo iguais!". Na véspera do concerto (eu fui no domingo, mas tive amigas que foram no sábado) recebo mensagens do género "parecias tu em palco, até têm sabrinas iguais!". É isso... as sabrinas! Pára tudo porque finalmente vi a luz, finalmente as tão afamadas semelhanças tiveram o seu expoente máximo quando se percebeu que tenho sabrinas iguais às que a diva usou no concerto. É muito andamento, senhores! É preciso ser-se grande para chegar a isto! Lá interessam os olhos, a boca ou a voz (factor que nitidamente mais temos em comum! O dia em que eu abrir a goela para o mundo é que vão ser elas! Upa, upa!). Tantos anos nisto e eu fico a saber que o segredo de se ser sósia é ter sabrinas iguais! Porque no resto então somos siamesas: ela tem olhos azuis, eu tenho cor de azeitona (azeitona galega, da boa!); eu tenho o cabelo comprido louro claro, ela tem o cabelo mais escuro e mais curto; ela tem mais 20kg e 20 cms que eu (ao lado uma da outra ela manda-me assim com uma mama na cara); o meu extrato bancário ao lado do dela dava uma música deprimente,... Mas ontem as minhas armas baixaram quando vi o programa Carpool do James Corden cuja convidada era a Adele. O meu filho dizia "vocês são mesmo iguais, rende-te porque até na maneira de rir e de falar ...são mesmo parecidas". Sei que me fartei de rir, a fulana tem um sentido de humor muito fixe e tenho de admitir uma coisa... há ali algumas coisas idênticas, é verdade! 

Sem comentários:

Enviar um comentário