segunda-feira, 30 de novembro de 2015

O meu filho ontem tocou com o Mário Laginha

O meu filho ontem tocou com o Mário Laginha.  O meu filho ontem tocou com o Mário Laginha. O meu filho ontem tocou com o Mário Laginha. Creio que já devem ter percebido que o meu filho ontem tocou com o Mário Laginha e foi elogiado e tudo e tudo e tudo.
Quando baixar a adrelanina e descarregar a máquina faço prova de um concerto genial. 
Entretanto cuidado, se escorregarem é baba minha.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Deixem-se de falsos moralismos porque já toda a gente deve ter pensado nisto

Ouvi dizer que vamos ter uma invisual no governo...aposto que vai para o Ministério das Finanças!
(é ironia, humor negro, estupidez da pura, eu mesma)

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Da Batata ... capítulo 258469!

Ora aqui vai o acontecimento:
Sábado de manhã esteve um temporal medonho (aqui no Oeste mais parecia um tornado) e quando assim é, por muito que nos preparemos, já sabemos que no exterior vamos ter prejuízo. O que eu não contava é que o vento abrisse a porta de um armário onde o João guarda algumas das ferramentas utilizadas mais recentemente antes de irem para a garagem. Nesse armário estava uma lata de tinta branca que caiu ao chão e abriu-se. Eis senão quando, estou na sala a ler um livro com a Madalena e vejo lá fora, Sra. D. Batata a passear-se com a lata na boca, arrastando consigo um lençol de tinta branca que a cobria por inteiro (uma vez que a lady se andou a esfregar na tinta). Esta que vos escreve, sai disparada de casa disposta a acabar com aquela confusão. Mas não! D. Batata avista-me e senta-se, quando eu me aproximo abre a boca deixando a lata cair no chão salpicando-me toda. Começo a olhar em meu redor e percebo que tinha havia dois vendavais, o criado pela natureza e o criado pela Batata, e vejo que uma toalha de banho que estava estendida no estendal estava feita em farrapos, pego nela e começo a tentar limpar as zonas com mais tinta, mas a Batata achou que aquilo era um brincadeira, gira pra caraças e então vamos de saltar para cima da dona, e puxar-lhe o rabo de cavalo, e morder-lhe o casaco e esfregar nas pernas enquanto puxava as calças...
Nos entretanto não esqueçamos um pormenor: chovia. E eu ali, que nem um pinto branco, com uma cadela pintada (de branco, naturalmente), a proferir palavras pouco simpáticas à mãe da cadela, à família em linha directa e em linha colateral da dita.
Eu vivo num filme e ainda ninguém me disse!

domingo, 22 de novembro de 2015

Neurologista... check

Tenho uma cabecinha compostinha (dentro dos limites) e ele só me quer ver daqui a três meses. Yes! One to go!

Tã feliz

Descobri um armazém de calçado que vende a preços do caraças (não me perguntem onde é porque íamos em passeio e tropecei literalmente naquilo. Depois pergunto ao meu homem). E tem coisas tã lindas, mas tã lindas!!!!!! Há pessoas que sabem como agradar uma mulher, e são dignas de beatificação!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Somos uma família esquisita, sim é verdade!

Comprei no cabeleireiro um reparador para o cabelo. A embalagem é pequena, branca com tampa amarela e não diz nada de mais. Como sou este ser espectacular, saí da casa de banho com a caixa na mão e fui até à cozinha buscar um iogurte. Logo, o reparador de cabelo ficou no frigorífico! Ontem quando chegamos a casa e o meu alarvezinho maior decide ir fazer um lanche, pergunta-me com uma fatia de pão numa mão e o creme reparador e a faca na outra "Isto é o quê? É tipo queijo fundido?!"

Planos para o fim de semana?!

Tenho para mim que os nossos planos para o fim de semana vão sair todos furados, a avaliar pelas dores no corpo que eu tenho, pela tosse medonha da Madalena, pela crise de sinusite dos homens,... Acho que quanto muito passeamos até à farmácia e chega.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Madalena Report #5

Em prantos: "Tenho as pernas cheias de nódoas negras, a canela esfolada, piolhos na cabeça e agora uma pele do dedo a sair... tenho tantos problemas!!!!"

O próximo furacão chamar-se-á Batata

Nem tive tempo (nem cabeça) para tirar uma foto. Mas se vos disser que as traseiras da minha casa pareciam aquelas fotos catastróficas que nós vemos no facebook de salas completamente devastadas pelos animais. Havia esponja por todo o lado (acabou o  trabalhinho de esvaziar a cama dela e da Ginja), o tapete que a Ginja tanto adorava estava feito em fanicos, havia papelão por todo o lado (não faço a menor ideia do que era nem onde estava), as galochas de ir à horta estão em modo Geox com perfuração e respiração por todo o lado, a casa de brincar da Madalena onde ela guarda religiosamente o giz de escrever no chão estava toda revirada e metade do giz comido, o regador cor de rosa também ganhou novo design,...
Estou em contagem: 78, 77, 76, 75, 74, ... e respira!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Eu também quero ter patrocínios!

Confesso que tenho um ódio de estimação por um ou outro blogue. Aquilo soa-me tudo a falso, fabricado, como que a pedinchar patrocínios para as roupas das crianças, decoração para a casa, acessórios para a mamã, entre outros. Feitos por senhoras que não têm ponta por onde se lhe pegue e continuam a achar-se a rainha da cocada. Como são blogues para eu cortar a casaca e eu sou gaja o que é que faço? Primeiro bano-os da minha lista de blogues, e de vez em quando vou lá espreitá-los, naturalmente. E então constato: primeiro que continuam a irritar-me, depois que o registo é sempre o mesmo (a pedir patrocínios para vestir as criancinhas), que a mãezinha entretanto se tornou numa star à custa da descendência mas que continua com um infindável mau gosto. E eu, pertencente à classe trabalhadora, questiono-me, onde é que aquela gente arranja tempo e dinheiro para ter vidas faustosas daquelas (sim, lá vêm os patrocínios). O que me leva a concluir: patrocinadores, aqui me têm, olhem para mim que sou facilmente subornável e filha de gente, com duas cadelas a virar para o besta, um adolescente que me consome couro e cabelo, gasto um balúrdio em cabeleireiro e unhas (e roupinha, vá), ultimamente o que gastei com produtos para os piolhos para a mais nova nem se explica, a casa essa nem se fala é tudo para cima de três dígitos,... Consegui convencê-los?! Aguardo contacto!

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Bem-vinda Batata

Ela é grande, pesada (aos 2meses tem 10kg e tal, pelo que se prevê uns 80kg em adulto), temos olhos descaídos que só dá vontade de apertar. Já destruiu a cama dela e da Ginja. Já roeu um par de sapatos do João. O estendal da roupa já caiu três vezes no passado fim de semana. Fez xixi no tapete da sala e no banco do carro. É chata de tanto andar atrás da Ginja. E adora morder-nos as pernas.
Adoramo-la... é a nossa Batata!

A babada sou eu

Este puto é o meu maior orgulho. Foi o primeiro em tudo. Foi rato de laboratório, de tentativas-erro. Falhei tantas vezes e pedi desculpa outras tantas. Percebi que a palavra abdicar tinha ganho todo um outro sentido. Eu abdicaria de tudo por ele.
É o meu filho cúmplice, nos olhares, nas meias palavras, nas expressões. Conhecemo-nos como ninguém. Escolhemo-nos um ao outro. E ainda bem!
Diploma de Mérito Académico com Distinção... yes!

Imagem do meu fim de semana

... que é como quem diz, a saga continua e o desespero também!
 

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Acerca do governo

Esperta fui eu que me enganei a votar. Assim como assim vai dar tudo ao mesmo, e eu não me sinto frustrada.

Socorrooooooooooooo!!!

Como sabeis a Madalena quer ter sempre qualquer coisa: óculos, constipação, dor de barriga, aparelho nos dentes, piolhos. No fundo, tudo o que as amigas tiverem ela quer também. Vai daí, andou a espalhar que tinha piolhos, não satisfeita coçava-se freneticamente. Eu, que entretanto já não estava a achar piada nenhuma aquilo porque a miúda parecia-me uma selvagem vou de comprar uma loção anti-piolhos naquela do "deixa-me lá calar esta gaja". Lá faço tudo direitinho e quando a começo a pentear e começam a cair piolhos garanto-vos que me ia saltanto o coração pela boca. Ela que nunca teve nada disto, depressa instalou o pânico cá em casa, a começar por mim que estava em histeria. Isto tudo, sem que ela se apercebesse porque se isso acontecesse era sinal que até a senhora do talho saberia. A esta altura já usei duas loções, um shampoo e um repelente tão potente que nem eu me consigo chegar à garota! Piolhos já consegui exterminar, agora lendeas, filhas da puta das lendeas não as consigo tirar nem ao puxão. Estou a ensandecer! 

Sossega coração

Então lá vai ela fazer  a segunda ressonância com uma porcaria espetada no braço porque a médica achou que eu tinha uma lesão no cérebro. Dito assim parece objectivo, mas perde-se a objectividade quando se está dentro da máquina e se tem um ataque de choro (sim, aconteceu!). Mas depois lá acalmei e afinal não havia lesão nenhuma era apenas a morfologia do meu cérebro que por sinal até é bonitinho e ao preço que esta cabecinha tem ficado bem pode ir para estudo daqui a uns aninhos quando eu vir a luz!

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

A mãe da namorada do meu filho

"Faz sopas óptimas (não são assim pegajosas como as tuas...), nos tempos livres faz rendas de bilros e adora passar a ferro. Perguntou-me se tu também eras assim. E eu respondi que eras capaz de dar uma perninha nos bilros...!"

É tão bem educadinho este meu filho, que quando disse isto diz que só me via no sofá a ver séries a rodos.... 

Resultado: ri o equivalente a 20 sessões de abdominais!

A sério, isto acontece às pessoas normais?!

Acabam de me telefonar. Segundo parece, a ressonância ao meu cérebro levanta dúvidas à médica. Vai daí a sra quer fazer novo exame, mas desta vez com contraste. Posso avançar que a hipocondríaca que habita em mim já vomitou duas vezes e tem uma dor no lado esquerdo do peito...receio que não chegue ao exame!

Realidades

Madalena: "Às vezes vocês dizem coisas que eu não percebo!"

Eu:" Óh filha, mas quando for assim dizes que nós explicamos-te melhor. Não queremos que fiques com dúvidas!"

Madalena: "Mas eu tenho a sensação que vocês falam assim de uma forma estranha de propósito para eu não perceber!"

Perspicaz, a miúda!

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Como é que é, já se pode começar a fazer a Árvore de Natal?

E assim foi...

Lá fiz os exames todos... venham os resultados que a malta está preparada!

E ontem despedimo-nos do Zé. Fónix, como doeu, e dói e pensamos nele e na mulher e nas filhas a toda a hora. Foi devastador a despedida. Que valente merda! E nestas alturas é difícil acreditar no destino e que estava na hora e que tinha de ser... não tinha nada! Um gajo como o Zé devia durar até aos 110 anos cheio de pica. Ontem, enterrámos uma pessoa genuinamente boa. Foda-se!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Pessoas de bem, rezai. Eu agradeço.

O sábado começa com uma notícia macabra, um amigo nosso falecera num acidente de trabalho. Merda. Como é possível. Logo o Zé, um gajo tão porreiro, tão pacato, tão amigo. Por ironia do destino a filha mais nova estava a tocar no ensaio da orquestra, ali ao lado onde se dera o acidente.
Fosga-se, com tanta gente má por aí, logo tinha de ir o Zé.
Não mais conseguimos gerir o fim de semana da mesma maneira, os nossos pensamentos iam sempre para eles. Para a mulher e para as duas filhas (uma delas grávida), foi a catástrofe. E eu com esta minha incapacidade de lidar com a morte, vivo apavorada que a vida me troque as voltas para me dar uma lição.

De tarde, começo a receber sms da CUF, uns atrás dos outros: exames marcados seguidos sem intervalos nem falhas. Os primeiros começam na 2ª feira, mais uns na 3ª e por aí fora. Estou borrada. Não dos exames, mas dos resultados. Fónix, afinal vão andar aqui a escarafunchar o cérebro de uma pessoa. Apetece-me vomitar, vou beber antes um chá. 

Vamos dar uma caminhada, só os dois, é domingo a Madalena foi para o Pão por Deus e o João está a estudar. Este homem conhece-me até pela respiração :"Choras o que quiseres, depois enxuga bem  as lágrimas que vamos começar a correr!". Não consegui chorar, pelo contrário mandei uma gargalhada.
Bora lá a isso, mais uma moedinha, mais uma voltinha!