quarta-feira, 17 de junho de 2015

Querido Sr. Carlos Manuel

Todas as semanas um senhor de seu nome Carlos Manuel me telefona a tentar vender uns artigos. Todas as semanas eu explico ao sr. Carlos Manuel que não estou interessada. Mas o sr. Carlos Manuel é uma pessoa insistente, que não se dá por vencido e deve ter feito apostas no escritório em como me convence a comprar qualquer coisita, vai daí aumentou as investidas para contactos bisemanais. Ui, levantámos a fasquia! O sr. Carlos Manuel não só me quer vender uns artigos como já faz ofertas e a partir daqui acho que já tudo está em causa. Ora eu acabei de falar com o sr. Carlos Manuel que, em desespero (a aposta no escritório deve incluir um amasso com a Vanessa da contabilidade) já diz que gosta muito da minha voz (coitado que nunca me ouviu cantar) e que a voz deve corresponder a uma pessoa fantástica (ainda ele não viu o meu rabo de Kardashian). E eu, pessoa em que a paciência não é a melhor das virtudes, fiz um desenho via telefone ao sr. Carlos Manuel, mas ele não se toca e mantém o mesmo tom monocórdico esteja eu a convidá-lo para jantar ou a mandá-lo à merda (facto que ainda me irrita mais). Deixei-me de cordialidades (era óbvio que não me tinham levado a lado nenhum) e disse-lhe a seco que não ia comprar nada, sem lamentos, desculpe lá qualquer coisinha, estou farta de tanta insistência, contenção de custos, falta de interesse nos produtos, já não o posso ouvir,... valia tudo. O sr. Carlos Manuel é um erro no que às vendas diz respeito e tenho para mim que noutros sectores da sua vidinha também deve ser uma seca (atenção: o maior dos respeitos pela classe comercial deste país) e eu já estou possuidinha. Quando a conversa já ia neste tom e eu vou para desligar, o sr. Carlos Manuel despede-se com um "concerteza sra. dra, falamos melhor na 6ª feira"...
Naturalmente que na recepção já está um post-it a dizer "Não transferir chamadas do Sr. Carlos Manuel... estarei sempre em reunião!!"

Sem comentários:

Enviar um comentário