terça-feira, 30 de junho de 2015

Parece-me que alguém engoliu em seco

No fim de semana, para além de uma gastroentrite descomunal que a Madalena nos passou (os três de cama e ela fina e airosa) quando me pus em pé decidi dar volta aos armários da Madalena. No final das arrumações, haviam separados vários sacos para distribuir. No final digo ao homem:
Eu - "Vês tudo isto? Significa que não podemos vir a ter outro filho. Para além daquelas peças de roupa simbólicas, deixou de haver roupa de bebé nesta casa!"
Ele - "... sim... mas pode ser que seja um rapaz"
Eu - "Lamento, mas as coisa do João também já se foram há muito!"
Ele - (glup)

Primeiro queria um terceiro filho, depois já não lhe apetecia ("vamos mas é fazer umas viagens e tal"), agora que também já me passou a vontade a mim, anda com histórias. Rapaz, ganha juízo!

terça-feira, 23 de junho de 2015

Cópiazinha da mamã

Ele entrou na sala de espectáculos. Toda a orquestra estava reunida em alegre convívio do lado esquerdo da recepção. O convívio era de tal forma animado que se ouvia na rua. Pois ele pegou no telemóvel, ligou para um dos amigos a perguntar onde estavam e continuou a andar para o lado direito.
O meu filho é a minha cópia!

A música rezava assim: passear contigo, amar e ser feliz, tiriririr-ri-ri

Depois de um dia do demo, chego a casa e tenho uma bela picanha na brasa e um convite do meu homem para irmos beber um copo depois do jantar. Obrigada, querido. Quando estás atravessado tens um feitiozinho que benzó-Deus, mas 99% dos 365 dias do ano fazes-me feliz como ninguém.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Foda-se*, estou tão fartinha!

Estão a ver aquelas pessoas que hoje dizem uma coisa e amanhã outra? Ou melhor ainda, que no decurso de uma conversa dizem uma coisa e volvidos minutos já fincam pés a dizer que não disseram o que disseram há uns minutos? Aquelas pessoas que dizem que houve um problema de comunicação e que foste tu que afinal não percebeste bem as coisas? Estão a vê-las? Pois bem, sejam bem vindos ao meu dia a dia.

*e não venham cá com merdas que sou uma ordinária e que devia ter mais respeito e pudor, porque em primeiro lugar estou mesmo fodida, farta de gente mal formada e depois (utilizando a expressão mais madura de sempre) o blogue é meu. Querem gente genuína...aqui me têm!

Quando é que começa o Inverno?

O verão é lindo, e bom, e a malta anda feliz (é o que dizem). Felicidade, really? Adonde? Com as temperaturas que se fizeram sentir  tive uma descida de tensão tal que passei o fim de semana com as maiores enxaquecas de que há memória. Como não gostar do inverno?

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Pessoas que não têm filhos, ponderem bem se querem passar por estas ânsias

O que mais me preocupa na minha filha é o feitio. Xinapá que feitiozinho. É um doce, uma querida, tem imensa piada, é uma companheiraça, mas depois tem manias que não acabam nunca. Manias daquelas irritantes à brava como o dedo esticado, a crítica recorrente, a falta de filtro, a selecção de quem se senta ao lado dela,... Ora lá em casa a malta é tão fixolas, paz e amor que me custa pra caraças estas porcarias. De maneira que passamos a vida a metê-la na linha e a ver se deixa de ser parva.
O meu filho tem exactamente as mesmas qualidades mas em modo calmo. É para ir para a direita? Vamos para a direita. Agora é para ir para a esquerda? Bora lá para a esquerda. Tá de bem com a vida e a vida de bem com ele. Mas é um cabeça de vento, acha sempre que tudo é já ali e que tem de nos avisar em cima da hora porque nós não temos mais nada para fazer do que estar ao seu serviço. Tem óptimas notas, mas o pai já lhe perguntou se ele suborna os professores, tal é o grau de distracção.
Ela vai para o 1º ano, ele para o 10º. E eu já estou a sofrer por antecipação, aqui em ânsias a achar que não dou conta do recado.
Pronto ok, estou stressadinha. Há comprimidos para isto?!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

Estou capaz de lhe bater!

O meu marido perdeu 4kgs numa semana ... 

Estúpido!

Martine vai à horta

A caminho de casa o meu vizinho mandou-me parar, estava na horta e deu-me umas alfaces.
O que é que isto tem demais? É que ele vai à horta de Porsche Cayenne e eu não ... mas vou maquilhada que é sempre em bom!

Querido Sr. Carlos Manuel

Todas as semanas um senhor de seu nome Carlos Manuel me telefona a tentar vender uns artigos. Todas as semanas eu explico ao sr. Carlos Manuel que não estou interessada. Mas o sr. Carlos Manuel é uma pessoa insistente, que não se dá por vencido e deve ter feito apostas no escritório em como me convence a comprar qualquer coisita, vai daí aumentou as investidas para contactos bisemanais. Ui, levantámos a fasquia! O sr. Carlos Manuel não só me quer vender uns artigos como já faz ofertas e a partir daqui acho que já tudo está em causa. Ora eu acabei de falar com o sr. Carlos Manuel que, em desespero (a aposta no escritório deve incluir um amasso com a Vanessa da contabilidade) já diz que gosta muito da minha voz (coitado que nunca me ouviu cantar) e que a voz deve corresponder a uma pessoa fantástica (ainda ele não viu o meu rabo de Kardashian). E eu, pessoa em que a paciência não é a melhor das virtudes, fiz um desenho via telefone ao sr. Carlos Manuel, mas ele não se toca e mantém o mesmo tom monocórdico esteja eu a convidá-lo para jantar ou a mandá-lo à merda (facto que ainda me irrita mais). Deixei-me de cordialidades (era óbvio que não me tinham levado a lado nenhum) e disse-lhe a seco que não ia comprar nada, sem lamentos, desculpe lá qualquer coisinha, estou farta de tanta insistência, contenção de custos, falta de interesse nos produtos, já não o posso ouvir,... valia tudo. O sr. Carlos Manuel é um erro no que às vendas diz respeito e tenho para mim que noutros sectores da sua vidinha também deve ser uma seca (atenção: o maior dos respeitos pela classe comercial deste país) e eu já estou possuidinha. Quando a conversa já ia neste tom e eu vou para desligar, o sr. Carlos Manuel despede-se com um "concerteza sra. dra, falamos melhor na 6ª feira"...
Naturalmente que na recepção já está um post-it a dizer "Não transferir chamadas do Sr. Carlos Manuel... estarei sempre em reunião!!"

Eu ouvi isto, juro que ouvi

Nós -"Ó Dona X, sabe bem que não pode faltar às nossas convocatórias."

A Dona X - "Sim, estava lá em santa-cona-do-assobio e vinha mesmo ter convosco!"
. . . 

terça-feira, 16 de junho de 2015

Azeitonete assumida

É só para me lembrar que nesta noite fui muito feliz! Mesmo com o cheiro a estrume (ir a feiras da agricultura dá nisto).
Santarém, 12 de Junho de 2015

Palminhas para a psicologia invertida

Depois de horas a chamá-la para ir tomar banho e ela a arrastar o mais que podia, resolvo virar o jogo e apelar ao drama (a miúda afinal não sai às pedras da rua):

Eu: "Eu sei que sou chata. Como eu gostava de ser uma mãe menos chata, que te deixasse andar com as unhas cheias de terra a semana toda, com o cabelo cheio de sebo e o rabo a cheirar mal..."

Madalena: "Não és nada chata mamã. Vou mesmo agora tomar banho, que tu és tão querida e fofinha e só queres que eu ande bem cheirosa!"

O que eu mais gosto na maternidade? O poder maquiavélico! Ahahahah!

Eu tenho problemas com os trocadilhos

Numa festa fazem-me chegar um gin enviado pelo meu marido. Levanto o copo e grito para ele (do outro lado da sala): "Amor, estás cá dentro!". E de seguida, aquele momento em que numa festa com malta aos gritos todos se calam e todos ouvem!
Enquanto mãe de família não foi bonito, já no campo 50 Sombras de Grey foi um momento lindo!

segunda-feira, 15 de junho de 2015

. . .

Madalena: "Sabes uma coisa, ontem eu e o Kiko estavamos a jogar à bola e de repente ele chutou a bola para longe. Fui buscá-la e vi que ela estava suja. Como achei que era terra sacudi com a mão, mas depois reparei que era cócó da cadela. Então depois, limpei a mão à toalha da mesa do jardim e continuei a brincar."

Eu: "Mas depois vieste a casa lavar as mãos, certo?!"

Madalena: "NÃO. Continuámos a brincar, claro! Nem cheirava mal nem nada!"

Deixa-me ir ali pôr toalha a lavar. É que depois deste episódio já jantámos nela!

Cansada

Tão, mas tão cansada. De um cansaço que não é físico, mas que dói como se fosse. Cansada da parvoíce, da insensatez, da falta de humanismo. E quando chegas a este ponto, a vida e a maturidade apresentam-te dois caminhos e eu, que me recuso a perder a alegria de viver e a ingenuidade que me ajuda à honestidade, já escolhi o meu. O meu porto de abrigo está lá e para ele corro todos os dias, só ele me mantém à tona.
Chamem-me louca, mas recuso-me a continuar no meio do rebanho que me sufoca. Estou fora. Vou dizer tudo o que tiver de dizer a quem de direito, sem recados ou rodriguinhos. Vou tirar a máscara e sorrir só quando me apetece, sem fretes nem favores. Acabaram-se os protocolos e as formalidades. O filtro deu de si, está laço, sem folga nem aperto. De tanto engolir fiquei doente. Chega. Talvez assim passe a ser considerada como ser humano que sou, com a dignidade que me é de direito. Estou cansada, mesmo muito cansada!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Preciso que me benzam os electrodomésticos

Avariou-se o congelador, a máquina de lavar loiça, a trituradora entre tantas outras coisas que se partiram e foram para o galheto. Até a Bimby que supostamente substitui metade dos aparelhos de cozinha já faz uns barulhinhos estranhos.
Estou disponível para angariação de fundos a favor da própria. Se quiserem contribuir, sintam-se à vontade.
Entretanto segue uma singela nota aos senhores da seguradora: já começo a aziar com a incompetência no que diz respeito ao congelador, se não despacham a coisa pondero avançar com a cadela para cima de quem venha cá a casa só para olhar para o congelador e tirar fotos. Ainda se lá dentro tivesse congelada a Sara Sampaio ainda se compreendia, agora chegar, tirar fotos infinitas vezes e continuar tudo na mesma... não se entende!

Os papás e os contraceptivos de serviço

Atentem aos pormenores: eu de mãos dadas com o pai (sendo que eu sou muito maior, evidentemente!) absolutamente in love e os penetras a ladearem-nos (os braços de t-rex do Joãozinho são fabulosos).

sábado, 6 de junho de 2015

Das conversas deles

Madalena: "Hoje na tua escola vi uns meninos a limparem as janelas..."

João:" É porque se portaram mal."

Madalena: "Se calhar responderam mal à professora, ou chamaram-se nomes uns aos outros, ou até quem sabe pintaram fora do risco!"

João: "... tu és tão fofa!!"

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Pronto, já está!

Eram 09h da manhã e eu já estava em frente à secretaria da escola. Tinha de ser assim, ou vai ou racha, já não dava para esperar mais. Mal entro a funcionária convida-me a sentar, deve ter visto o meu ar de terror e só faltava oferecer-me um cafezinho. Pois não é que mal me sento os olhos começam a encher-se de lágrimas de forma incontrolável. Pior, a Madalena estava ao meu lado e eu tinha de pintar a coisa cor de rosa. No final, a senhora revê o formulário e pergunta-me "E almoço? Não vai almoçar na escola, pois não?" e eu confirmo, resposta pronta da Madalena em pânico "Não vou almoçar na escola? Já não basta mudar de escola como ainda me deixas sem almoçar?"
E assim se destrói a minha reputação como mãe logo na secretaria como que a avisar todo o meu perfil, que a avaliar pelo ar da senhora deve ter ficado a pensar que devia ser prática da casa, ao que eu rapidamente expliquei que o faria no ATL.
Estou aqui em processo pós-cirúrgico, em recobro. Percebe-se agora porque não poderei ter mais filhos, é que no primeiro também foi assim e eu tenho as miudezas fraquinhas!

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Já te sentiste feliz hoje?

Eu sou uma brincalhona incondicional. Não me levo a sério e faço de tudo uma paródia, talvez por esta perspectiva colorida da vida seja íman de pessoas porreiras a valer. Mas ultimamente a minha maneira de ser tem-me trazido dissabores. Há quem não entenda o meu sentido de humor (sarcástico e irónico) e o entenda como gozo. Isto nunca me tinha acontecido, o facto de me deparar com pessoas que te criticam porque acham que estás a gozar e isso deixou-me abananada. Na minha ingenuidade pensei que nunca seria interpretada assim, porque simplesmente não poderia ser.
Concluo uma vez mais que por detrás de anjos temos demónios que vêem a vida de forma tão perturbada que chega a assustar. Um conselho: vivam a vida de forma tão simples que possam respirar fundo e sentir-se em paz, sem críticas e julgamentos.

A escola primária é já ali, sabias?!

Ando a protelar a inscrição da Madalena na escola primária. Trago a documentação toda no carro e todos os dias digo que é hoje que vou lá. Palpita-me que o prazo das inscrições vai acabar e quando for tenho direito a multa e tudo. Será que estarei a oferecer resistência a esta nova etapa? Claramente que não!

Missiva ao SCP

Aos senhores do SCP que gerem o dinheiro das cotas de sócio desta vasta família:

Estão autorizados a canalizar os euritos (largos, por sinal) que esta família sportinguista paga mensalmente  para um curso intensivo de português ao Jorge Jesus.
O dinheiro dos lugares cativos, desejo que sejam canalizados para aulas de etiqueta, pode ser a Paula Bobone, o Castelo Branco, não me interessa qualquer um serve.
Como a quantia dos lugares é generosa ainda deve sobrar alguma coisa para o cabeleiro, Eduardo Beauté de preferência. 
Agora, se na primeira conferência de imprensa que aquele senhor der envergando os fatos de grife do Sporting, eu vislumbrar a peúga branca, a pastilha elástica ali a andar de um lado para o outro como que substituindo o elixir, e ele fizer uso da língua portuguesa de forma incorrecta ... Acabou-se tudo, torneira fechada! Nem uma velinha em Fátima me merecem.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

. . .

Madalena: "Mãe, quando fores ao Masterchef (???) faz este bolo de chocolate. Tenta é queima-lo um bocadinho menos."

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Das minhas crianças

O mais velho não achou grande piada quando o acordei e lhe desejei um feliz dia da criança, mas como por apêndice estavam duas t-shirts mesmo giras embrulhadas em cima da cama, ele não se importou nada de ser criança. Mas a coisa teve de ficar por aí, provando que isto dos dias temáticos é para o lado que der mais jeito.
A mais nova delirou, teve direito à família toda da Princesa Sofia (um delírio), 12 embalagens de Play-Doh (o meu marido ainda não percebeu o meu drama de estar sempre a tirar plasticina dos buracos mais improváveis), uns calções, uma t-shirt e foi mascarada de Elsa do Frozen para a escola. Esteve o tempo todo em delírio e a achar que isto de ser criança é mesmo bom porque na escola fizeram um piquenique e nem comeram sopa. Brincaram e fizeram uma grande festa porque "as crianças são mesmo muito importantes!"

E são, são mesmo importantes pelo menos as minhas para mim. São o que de melhor tenho no que à beleza diz respeito e o pior no que diz respeito ao feitio que é igualzinho ao do pai.
Gosto delas mesmo quando cheiram mal (e olhem que isso em mim quer dizer muito) e suporto-lhes muito mais crises existenciais do que poderia supor. 
Amo-as desmesuradamente e como tenho grande tendência para o drama faço uns filmes demoníacos só de imaginar que lhes possa acontecer alguma coisa.

O mais velho idolatra-me e a mais nova diz que preferia ser filha da madrinha, para a seguir me dizer que precisamos de conversar porque foi muito indelicada comigo e lamenta porque essas coisas não se dizem, gosta da madrinha mas gosta mais de mim, afinal ela "estava sentada no carro como uma galdéria" ?!?! 

E eu e o meu gajo, que nem queríamos ter filhos gramamos com estes dois e já não viveríamos sem eles. É do tipo primeiro estranha-se e depois entranha-se esta coisa dos miúdos!