terça-feira, 31 de março de 2015

Se moras no Oeste, estou solidária contigo!

Não sei se algures em Portugal está o tão aclamado calor, porque por aqui é assim...

A culpa é toda do meu paizinho!

Quem me conhece e atesta a minha distracção, quando conhece o meu pai fica a perceber tudo! 
Senão vejamos:
No auge dos anos 90, também eu não escapei à moda da permanente e da poupa. Aquando da minha primeira permanente (sim, há males que nunca vêm sós e ainda fiz umas quantas) chego a casa e faço aquele ar de quem procura aprovação e elogio "Então pai, o que é que achas?" "Tens qualquer coisa de diferente... deixa-me adivinhar: arranjaste as sobrancelhas!"

Está tudo dito, não está?!

. . .

A Madalena está com uma pneumonia. O meu coração também tem pneumonia e por osmose a minha alma também. Merda esta dos miúdos não poderem passar as doenças para nós.

quarta-feira, 25 de março de 2015

A mais linda declaração de Amor

Estávamos todos na sala. A televisão como barulho de fundo. Nela alguém dizia que a família não se escolhe. O João, aos 15 anos insurge-se e diz-me:
"Que mentira! Tu escolheste-me a mim. Graças a Deus!"
A seguir deu-me um beijo e voltou para o computador. 

segunda-feira, 23 de março de 2015

Coisas que só o meu pai diz...

"Estás tão bonita filha, parece que estás mais magra...tens os olhos maiores!"

ADN, uma coisa fabulosa e que justifica muita coisa na nossa vidinha.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Feliz Dia do Pai - Paixão II

E depois aparece-me este sujeito na vida... Sempre achámos que seriamos um daqueles casais que viveríamos bem sem filhos, tínhamos demasiados planos e viagens para fazer, estávamos apaixonados e só tínhamos olhinhos um para o outro, crianças, fraldas e gritos definitivamente não faziam parte do filme.
Depois a vida troca-nos as voltas e eu fui percebendo que ele seria um pai fabuloso. E as minhas suspeitas não estavam erradas. É o meu parceiro no crime e somos aliados na brincadeira e no ralhete. Destabiliza-me os miúdos na hora de dormir, ensinou-os a tirar macacos no nariz sem que eu veja, mas faz os melhores petiscos do mundo, faz o pequeno almoço personalizado para cada um, é atencioso e lembra-se do que lhe pedimos há 20 dias atrás e não descansa enquanto não encontra ... e quando ele entra em casa esta enche.
Obrigada por me ajudares nesta tarefa difícil e por estares sempre lá, para eles e para mim.
Feliz Dia do Pai, meu amorzão!

Feliz Dia do Pai - Paixão I

Este senhor que se apresenta do lado direito com uma farta cabeleira é o meu pai. É, sem sombra de dúvida, a melhor pessoa que conheço. Não conheço ninguém que não se apaixone por ele à primeira. Foi o meu primeiro amor. Sou uma menina do papá daquelas mesmo melgas. Numa destas noites riamos a lembrar o dia em que fomos expulsos da classe de hidroginástica porque não parávamos de brincar um com o outro e os outros clientes não gostavam (e não foi assim há tão pouco tempo!).
Quero tanto, mas tanto que sejas eterno. Nunca me faltes, por favor!

terça-feira, 17 de março de 2015

Liebster award – Bi... fiz-te a vontade!

Bi, cá vai o desafio, achei-lhe um piadão e resolvi embarcar na coisa. Como acho que ninguém me lê se calhar não vale a pena nomear (sabes que isto de viver no campo me faz sentir numa bolha, tipo Actimel). Bora lá:

11 factos sobre nós:
  1. Tenho os olhos verde azeitona 
  2. Adoro dormir (em contraposição tenho umas insónias doidas)
  3. Sou doida por caracóis, mas detesto feijão verde
  4. A frase que mais ouço "estás sempre a rir"
  5. Sou vaidosa, doida por acessórios, sapatos, malas,... vale tudo
  6. Ando sempre maquilhada, raramente me apanharão au naturel
  7. Sou querida, mesmo querida até esbarrar com a falta de educação e arrogância de alguém
  8. Detesto qualquer tipo de exercício físico, sou preguiçosa e quem me tira o sofá corre sério perigo de vida
  9. Adoro comer, ando a saladas durante a semana toda para me poder vingar ao fim de semana
  10. A palavra que mais digo é "amo-te"
  11. Sou a pessoa mais distraída do mundo, já fiz coisas inconfessáveis à custa disso
Resposta às tuas questões:

1- Como surgiu a ideia e o nome do blog?
Da cidade pro campo... é mesmo isso. A ideia do blog surgiu a pedido de amigos que achando que a nossa vida é recheada de peripécias  merecia ser partilhada. E inicialmente era mesmo isto, história de dois citadinos que arrastaram a família para o campo porque lhes apetecia ter uma quintinha,... sem perceber um boi de nada daquilo. Aos poucos fui alargando mais os posts, entrei dentro de casa e mostrei como os nossos serões são divertidos, tenho uma amiga que frequentemente me diz que gostava de ser mosca para assistir aos nossos momentos juntos, porque somos efectivamente divertidos, uma réplica à portuguesa de "Uma família moderna", é o que faz viver e educar para a patetice. Por outro lado, foi uma excelente forma de exorcizar a minha adaptação difícil a esta nova condição de vida e que divertia imenso os nossos amigos. Sabem quando viajam para um sítio e pensam "uau quem me dera viver aqui!", pois bem, nós passámos à prática, não tive foi em conta o quão drástica seria a mudança.


2 - Qual a importância que o blog tem na tua vida?
Nem sei bem quantificar em termos de grau de importância. Todos os dias espreito os blogues que gosto, muito mais do que escrevo no meu. Sei que o sinto como um diário, durante o dia vou fazendo uns rabiscos na minha agenda para não esquecer alguma coisa que eu achei interessante partilhar e depois à noite passo-o para o blog. Não me prendo à quantidade de seguidores, e ao número de visualizações,  porque tal como tudo na vida o encaro com naturalidade pelo simples gosto de escrever (se o faço bem já são outros quinhentos) e se me gostarem de ler somos ambos felizes.           

3- Sobre o que mais gostas de escrever?
Sobre nós, sobre esta família extraordinária que tive o privilégio de constituir, e às vezes até sinto que desvirtua um bocadinho o título do blogue. Mas o que eu gosto mesmo é de escrever sobre tudo e sobre nada, sobre o amor, sempre o amor. Um mistério que ainda está para resolver (mas aí terei de recorrer a terapia) é porque é que não publico as nossas viagens e quando o faço é com muito poucas fotos. Falta de paciência, desleixo, sei lá Freud teria tanto a dizer sobre mim...

4- Já fizeste amizades através do blogue?
A minha noção de amizade é assim uma coisa umbilical. Existem pessoas com as quais me identifico imenso, como a Patrícia do A História das Carochinhas, a Marta do Dolce Far Niente. E depois existe a Bi d'Os Dias da Bi  que entrou no meu coração de forma fulminante e pude perceber que do outro lado do ecrã existe alguém com um coração e alma do tamanho do meu.

5- Achas que ter um blogue está na moda?
Acho, acho mesmo que existem pessoas a vender um rim ou qualquer outro orgãozito para viverem à custa disto e se tornarem famosas, conseguirem uns contactos fixes e uma vida com cremes de borla. E isso é tão perceptível (até mesmo para mim que vivo sempre alheada de tudo) basta cruzarmos blogues e instagrams e isso vê-se à légua. Eu sou simples, se gosto gosto se não gosto não sigo, mas também não chateio ninguém. Já cheguei a eliminar da minha lista de leitura blogs famosos só porque mais pareciam os intervalos de publicidade da TVI. Gosto de pessoas reais que me inspirem a ser uma pessoa melhor. Gosto de blogs que me fazem feliz. Até mesmo quando alguém faz um post de um dia menos feliz, fá-la humana e isso agrada-me. Não acredito em blogs perfeitinhos, com putos perfeitos (sempre vestidos para ir a um baptizado a Espanha ou Itália e que nunca se sujam nem têm ranho no nariz), viagens perfeitas, fins de semana geniais. E se isso é estar na moda então estou mesmo out!



sábado, 14 de março de 2015

. . .

Eu: "Já viste amor, desde que reguei esta planta e a pus ao sol ela está tão bonita"

Ele: "...é a tua inteligência que me fascina!"

quinta-feira, 12 de março de 2015

Andamos na fase dos dentes a abanar, A Madalena entenda-se, que se fosse comigo ficaria amiga do Corega

A Madalena tinha 2 dentes a abanar. Há poucos dias caiu um. Grande festa, fada dos dentes em acção,... tudo em bom. O que não esperávamos é que o dente do lado solidário a abanar passasse para o centro dos dois dentes. A miúda está tão estranha, que muito honestamente só me lembra os dentes do Shrek.

quarta-feira, 11 de março de 2015

Consegui conjugar palavras improváveis: horta, galochas e amor

O meu marido num entusiasmo perturbante comprou-me umas galochas para eu usar na horta.
Vamos por passos:
1º - Só gosto de ir à horta com o cestinho de verga na mão porque acho que fico giríssima naquela figura cinematográfica;
2º - Eu vou à horta colher coisas, não plantar, semear, andar de enxada na mão;
3º - A intenção da oferta das galochas era plantarmos coisas na horta juntos (continuo a insistir na palavra coisas) - facto que não me apetece muito, não é por ele que é um querido mas a ideia de andar ali toda cheia de terra não me atrai;
4º - Por forma a ser convincente, as galochas são cor de rosa.

Como achei que o ia desapontar, agradeci, disse que eram muito giras e que começávamos por plantar morangueiros. Ele ficou feliz, e eu fiquei por ele. O caraças do amor a lixar sempre uma gaja!

terça-feira, 10 de março de 2015

Pior que as burras: estou grávida há 39 anos

Calma, isto tem uma explicação! Segundo a Madalena ela está dentro da minha barriga desde sempre. Quando contamos histórias seja qual for o momento da minha vida, ela faz questão de impor a sua presença.
Vejamos:
Dizia uma amiga minha: "Olha a foto parva que eu descobri quando estávamos na faculdade!", resposta da penetra "P. eu aqui ainda não te conhecia porque estava na barriga da mãe".
Concertos, sempre que ouvimos uma música de um cantor ou banda cujo concerto fomos assistir  "bem como eu estava na tua barriga se calhar gostei logo desta música"
Casamento, chatice do caraças a miúda não estar presente então vai de "mãe, estavas tão linda no casamento com o papá. Eu não me lembro porque estava na tua barriga!".
E a autêntica pérola (atendendo que os meus filhos têm 9 anos de diferença) "olha aqui o mano bebé e tão fofinho, eu já te achava querido porque estava na barriga da mãe".

E é isto. Se podia explicar o processo da gravidez e da coisa em si, podia... mas ao despacho que esta tipa tem ia levar com perguntas comprometedoras nos sítios mais inapropriados. Até lá fica assim, grávida para todo o sempre!

terça-feira, 3 de março de 2015

Destes dias

Recebi a namorada do meu filho para um jantar lá em casa.
Dois dias depois foi ele a casa dela.
A mãe dela mandou-me um cesto cheio de limões e um ramo de flores do campo. Uma fofa!
Fiz 39 anos. Tão, mas tão feliz!
Empanturrei-me de comida tailandesa (da verdadeira).Desculpei-me dizendo que era o dia da asneira e aí permitia-se comer o que eu quisesse.
A Madalena achou que se era dia da asneira então vamos lá dizer palavrões em pleno restaurante. Em modo alto e bom som, que dia da asneira só deve haver uma vez por ano "...é como o dia das mentiras, não é pai?!"
O João anda com as hormonas em alvoroço. Aproveito-mo disso e meto-o a aspirar e a limpar o pó, que ele como só vê corações e estrelinhas não refila.
A Madalena caiu-lhe o primeiro dente. Está gira que se farta!
A minha mãe caiu novamente (nada de novo) e desta vez não partiu nada.
O meu tio Eduardo perdeu novamente o carro no parque de estacionamento do Continente e meteu todo o mundo em polvorosa com polícia à mistura pois ele acreditava piadamente que lhe tinham roubado o chaço.
. . .
Claramente, somos o retrato fiel da série "Uma Família Moderna".

Mada e as profissões

Madalena -"Quando for grande quero ser polícia, bombeira e enfermeira"

Eu - "Uau, tão bom escolheste profissões que ajudam as outras pessoas!"

Madalena - "Vou fazer assim: à segunda-feira sou polícia, à terça-feira sou bombeira e à quarta sou enfermeira!"

Eu - "Então e nos outros dias?!"

Madalena - "Nos outro dias não estou a pensar em fazer nada porque devo estar muito cansada. Mas se calhar ainda sou cabeleireira lá para sexta-feira!"