quarta-feira, 26 de março de 2014

Quando houver comprimidos para isto, eu juro que acampo na farmácia!

Quando a minha distracção (que é crónica, hereditária e altamente patológica, entenda-se) é motivadora de despesas, aí perde a piada ... principalmente para o meu marido, que deixa de achar um charme e passa a equacionar o internamento compulsivo.
No espaço de um mês já estourei duas baterias ao carro ... não é bonito. 

Sem comentários:

Enviar um comentário