sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Clemência e Piedade

Vou ter um não-fim-de-semana. Que é como quem diz, um fim de semana a trabalhar. Logo, uma treta!
Tenham piedade desta alma que ultimamente adormece até em pé!
Vai um colinho?!

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Acabei de levar um murro no estômago

Entre a morte de um filho e o seu desaparecimento reside o meu maior pânico.
O olhar da mãe do Rui Pedro lembra-me sempre isso.
E este vídeo... é de sufocar de dor!

domingo, 26 de janeiro de 2014

O meu melhor espelho... é ela!

É irrevogável: as crianças são o reflexo do contexto familiar. Adquirem hábitos, jeitos, expressões dos adultos. Tão poético quanto assustador... Vai uma aposta?! 
Aqui vão algumas das preciosidades da Madalena enquanto brinca: (é aterrador pensar que daquela boca pequena saem expressões iguaizinhas às minhas! Socorrooooooo!)

- "Toma, bebe um cházinho que está quentinho. Vais-te sentir melhor e acalmar. Isso mesmo, respira fundo e descontrai!"

- "Hoje na escola estive numa reunião. Tive que mandar toda a gente calar porque ninguém estava concentrado!"

- "Eu estou a falar e quando uma pessoa fala não a interrompes, pedes autorização."

- "Estou ocupadíssima e ainda tenho imensa coisa para fazer."

-"Queres miminhos? Anda cá ao meu colinho! Estás mais calmo? Vês que não é preciso fazer birra!"




Citando o meu marido: «Podes renunciar ao reinado, já tens sucessão!»

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Por aqui... céu muito nublado

Estou nublada como o tempo. Fiquei com uma irritabilidade daquelas assim de repente. A culpa é da filha-da-mãe da TPM e do caraças das hormonas. Eu, a mulher do riso e da brincadeira baixada a neura. E daquelas neuras grandes em que se olha de lado para os putos, se apita no trânsito só porque sim, se mostra o dente à velhota que passa demasiado devagar na passadeira, se pede silêncio por favor ao menor barulho...
Estou na minha casinha, quentinha e confortávelzinha e com todas as «inhas». Fui sacudir um tapete e ouvem-se gritos de pessoas num leilão de hortícolas numa colectividade distante. Esta gente está-me a irritar! O meu marido acaba de me propor que vá até ao alpendre gritar com eles. Assim-como-assim ninguém me ouve. É isso mesmo. Até já!

Sim, eu sou o Ronaldo da cozinha!

É oficial! Sou, sem a menor margem para dúvidas, a melhor cozinheira... cá de casa! É um título há muito almejado. O ponto alto da minha, já longa, carreira foi o sublime jantar de ontem: frango com ananás e molho agridoce e arroz xau-xau (se o chinoca cá da zona sabe que lhe ando a fazer concorrência ainda me saca um orgãozito para alimentar a família).
Quero agradecer à minha família por todos os pratos intragáveis que foram forçados a engolir. Obrigada por todas as vezes que disseram não ter fome mal olhavam para o prato. Estou grata pela simpatia e educação com que amavelmente contornavam a perguntam: "O jantar está bom?". Aos amigos fofos que diziam só se comia arroz cá em casa. Foram esses momentos (não foram, foi mais o facto da minha mãezinha estar a uns bons quilómetros daqui e viver no campo onde não há entregas ao domicílio...mas adiante!) que fizeram de mim o que sou hoje! Os tempos mudaram! Muito trabalho, muito treino, a bela da Bimby e voilá! É ver-me aqui chegada. Uma cozinheira de mão-cheia é o que vos digo!
Mãezinha não chores (nem te assoes ao Louis-Vuitton que a limpeza a seco é cara!). Filhotes venham cá dar beijinhos à mamã. Marido, saca lá do cachucho. Este é um prémio merecido, esforçado e suado. Viva Eu!

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Deste ano que agora começa

Os meus dias deste ano que agora começa:
  • Música.... muita música sob a chancela do filho mais velho (ouvir All of Me do John Legend em saxofone enquanto se faz o jantar, é qualquer coisa de divino!)
  • À equitação, a Madalena juntou o ballet. Terminada a primeira aula, vira-se para a professora e pergunta :"Professora, mas afinal quando é que começa a aula de ballet?" ....
  • Descobri o Coaching e estou absolutamente rendida.
  • Fiz um bolo de chocolate que se intitulava como o Melhor do Mundo e foi uma valente treta.
  • Andei deprimida com a arrumação dos enfeites de Natal e geri da melhor maneira que pude a neura da Mada que saí à mãezinha dela.
  • Fiquei feliz, genuinamente feliz com a gravidez de uma amiga. Fiquei triste, verdadeiramente triste quando percebi que as coisas não estavam a correr bem.
  • Descobri amizades, afinidades e cumplicidades. À proporção percebi quem não me merece o investimento.
  • Fiz umas ameijoas ao vapor na Bimby e fui intitulada como a melhor Mãe Cozinheira de todo o mundo e arredores.
  • Namorei e beijei muito. Disse muitas vezes "Amo-te" e ouvi reciprocamente.
  • Aninhei-me no sofá, com cobertores, chás, biscoitos, filmes, braços e pernas que já não sabia de quem eram.
  • O meu pai fez 65 anos, cheio de saúde e jovialidade. E está provado que é o careca mais fofo.
  • A Ginja mordeu uma pata à Ermelinda enquanto brincavam. Pediu-lhe desculpas e voltou a fazer o mesmo na outra pata.
  • Continuo a não passar cartão à resolução de ano novo no que toca à dieta... Caraças!
  • Recebi os presentes mais esperados dos últimos anos sob o alto patrocínio do maridão.
  • Perpetuo a saga do positivismo como forma de vida. Rir, estar bem, querer bem, olhar com a simplicidade que se quer. O riso... sempre o riso, que me é característico e que contagia.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

10 Segundos

Andamos faz tempo a contabilizar este feito histórico.

O irmão estimou a média.

10 segundos...

É o período de tempo que a minha filha consegue estar calada.

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Eu sou do bem

É assim que, sem falsas pretensões, me devia apresentar.
Eu sou do bem, o que faz com que malfadadas vezes me dê mal. Porque, ingenuamente, não vejo maldade. A verdade e honestidade que emprego penso-a retribuída.
Sou do bem e mete-me confusão quem não o é. Legitimamente, assumo que não suporto gente complicada. Quem faz do acidente e do erro uma confusão tremenda. Gente que podia ser efetivamente feliz e que deliberadamente não o é. Que se mete na vida dos outros sem pedir permissão e lhes acalca os calcanhares só porque sim. Línguas maldizentes que vêm sempre o mal nas atitudes alheias. E sempre que me deparo com pessoas dessas faço exactamente a mesma pergunta: "Porquê?!" Porque me é difícil digerir que alguém não goste de viver em paz, em partilha saudável, em harmonia consigo e com os outros.
Eu sou do bem. Com os milhares de defeitos que me assistem. Com as quimeras passadas, presentes e futuras.
Eu sou do bem. Porque não gosto de mentiras, omissões e subterfúgios. Nem de falsidades, pretensiosismos ou rodriguinhos. Nem tão pouco de mesquinhez, frivolidades e má-língua.
Eu sou do bem. Porque venho em paz, com riso e gargalhada solta, de braços abertos, com verdade e humor. De alma limpa e sem grãos escondidos na asa. Porque gosto de viver. Porque gosto de ser e fazer feliz quem me rodeia. Porque a nossa estada aqui é curta e deve ser vivida apaixonadamente.
 
 
P.S.-  Malta, deixai-vos de merdas e vivei a vida. A vossa vida!

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

2014 ... começar assim é tão bom!

Uma passagem de ano à maneira com AMIGOS à séria. Projetos, reuniões, encontros... tudo marcado. Noites mal dormidas, a cumplicidade dos nossos filhos, as tampas das panelas que serviram para acordar os mais dorminhocos.  Pequenos almoços de filhós e champagne com morangos, fondue de marisco, chocolate, queijo, leite creme acabadinho de sair da bimby, caviar fora do prazo de validade e tudo o mais a que tivemos direito. Muitas gargalhadas, muitos picanços, tantos abraços e uns valentes "gosto de ti".
[Domingo, se Deus quiser, há mais!]
Agora estou para aqui, lenta e podre. Quero a minha caminha, quero o meu sofá, um cobertor e um gurosan. Mas não, trabalhar é bom e a malta agradece muito o que tem.
A ti 2014: entra, descalça os sapatos, senta-se confortavelmente e deixa-me ser feliz. E se tiveres que me levar alguma coisa, que sejam os quilos a mais!