quarta-feira, 31 de julho de 2013

A GINJA APARECEU! A GINJA APARECEU! A GINJA APARECEU!

E eu não consigo parar de gritar, e de chorar e de rir muito!
 
Pronto, há que assumir que um bocado de vadiagem na vida não faz mal a ninguém, só que para a próxima avise sim?!, que a malta andava num desgosto só!
 
Lindona da mamã!

terça-feira, 30 de julho de 2013

A Ginja partiu

Hoje não consigo escrever. Porque a dor da perda é grande. Porque o amor que sinto por esta fedelha é enorme. Porque as lágrimas me turvam a vista.
A Ginja fugiu durante umas miniférias no Alentejo e não voltou mais. Quero agradecer à população de Montalvão (Nisa), à GNR, aos Bombeiros, aos Guardas Florestais por nos acompanharem nas buscas e acima de tudo por terem percebido que para nós ela é muito mais que uma cadela... é família! 
Ginja, o que eu dava para me estares a roer os sapatos! 

quarta-feira, 24 de julho de 2013

É tão lindo, o ....

 
Olha só se esta foto não é a coisa mais adorável. Eu, monárquica convicta, vibro com estes dois. E depois choro, e digo que é tão lindo, que queridos que são, que fresca que ela está (a saltitar nos degraus depois de ter parido há pouco mais de 24h - por falar em parir: princesa que é princesa faz uma cesariana, e esta fofa dá o corpinho ao manifesto? Ó Jasus!).... São ou não são um must?! Eu sou assim, uma romântica incurável que acredita em contos de fadas! (suspiro)

Odeio gente parva, mal educada, presunçosa e que se julga mais que os outros

Tenho dito!

terça-feira, 23 de julho de 2013

Opá já nasceu o bebé da Katezinha

E eu estou tão feliz. Sim, sou daquelas entusiastas da realeza. Que delira com os casamentos, baptizados e afins.
 E ainda por cima, nasce no dia do meu aniversário de casamento. Puto, para o ano fazemos a festa a meias! Só temos de combinar se vens cá ou nós vamos aí! E não te preocupes que a minha mãe faz o bolo, levamos os croquetes e as bejecas! Ganda farra!
 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

O dia do nosso casamento

Sábado, 22 de Julho:

Cabeleireiro:  o meu cabeleireiro da altura, tinha tanto de génio como de temperamental. Fui com duas amigas, uma delas gravidíssima e com um humor de cão e que estava constantemente a mudar de opinião sobre o penteado que queria (liso, depois apanhado, depois liso outra vez, folheiava revista atrás de revista, é este, não pensando melhor é aquele!). O cabeleireiro bufava, repetia vezes sem conta que não se admitia que a noiva ficasse à espera, que este dia era da noiva, que não se admitia haver gente temperamental, quando o dia era da noiva,...  À saída do cabeleireiro, sai-me um "para a próxima venho de carro sozinha!" (para a próxima???)
A ida para a igreja: à saída da portagem enfiámo-nos atrás de uma fila de carros achando que eram os nossos convidados, e só demos conta que não eram, quando olhámos e vemos outra noiva! Depois, os acessos à igreja estavam cortados, todas as estradas que nós conhecíamos estavam cortadas e com placas de desvio que se sucediam e desembocavam em terras de ninguém. Ora, eu casei em Alenquer, terra que nenhum dos convivas conhecia bem (mas ficaram a conhecer naquele dia), demos tanta volta que os GPS estavam baralhados. Então, estivemos o tempo todo a entrar e a sair de uma aldeia chamada Perna de Pau, onde se lia constantemente "Bem-Vindos a Perna de Pau"... "Perna de Pau saúda-vos".... "Bem-Vindos a Perna de Pau"... "Perna de Pau saúda-vos". Caminhos de cabras? Mais que muitos! Malta a parar e a sair dos carros fulos da vida? Outro tanto! Nisto, o meu paizinho ameaçava mordidelas à malta da obra!
Enquanto isto, os convidados do noivo desistiram de esperar na igreja e rumaram em peregrinação até à tasca mais próxima,... padre incluído! A dada altura, este chama o João à parte e pergunta-lhe: "João, tem mesmo a certeza que a Sónia vem? Se calhar é melhor conversarmos. Estas demoras costumam ser mau sinal!" A partir daqui, foi o João quem acalmava o padre.
A chegada à igreja: tudo a apitar para os convidados saírem da taberna! Ainda hoje acredito que alguns não saíram de lá! Eu, só ria (os nervos dão-me para isto), parecia um pinguim a andar com uma vontade incontrolável de fazer xixi!
Copo de água: havíamos feito, com bastante antecedência, uma prova de comida para, precisamente, escolhermos o menu. Fizemos uma lista do que queríamos. Alguém deve ter trocado a lista, e aquilo que não queríamos... foi o que nos calhou! O bolo de casamento estava um horror (ainda hoje censuro as fotos) feio que benzó-Deus. Um bolo de batizado com um erro ortográfico daqueles! Um namorado de uma prima (ex-namorado, com a graça de Deus) que só perguntava onde havia batatas fritas, porque lhe apetecia as ditas! Um convidado vegetariano que penou as passinhas para lhe trazerem comida. Um tio (com maus fígados) que se lembrou de evocar os podres da família. Uns amigos, para lá de bem dispostos, que sempre que o senhor falava eles cantavam. Um animador para as crianças esbaforido, que ia lançando farpas à educação das criancinhas,....
Noite de Núpcias: o João decidiu primar pela originalidade e não me disse onde iriamos passar a noite. Quando dou conta, estamos no Moinho da Senta (giro que se farta!) mas com portas estreitas, logo, o rodado do vestido não cabia... logo, tive de me despir na rua para poder entrar.

 
~~ E sabem que mais? Repetia este dia, exactamente da mesma maneira! ~~

O dia é nosso

Só de nós os dois!
Porque faz 13 anos que o amor nos uniu. Um amor tão maduro quanto tranquilizador. O amor com armadura, feito de nuvens e aço. Obrigada por me aturares (não é fácil), por me mimares, por teres uma paciência infinita para as minhas preciosidades. Tu sabes o quanto eu te amo.

domingo, 21 de julho de 2013

Das férias que não terei......

Este ano, à excepção das mini-férias que fazemos questão de ir gozando ao longo do ano (caso contrário piramos), eu e maridão não podemos acertar o nosso calendário de férias. Quando eu estou de férias, ele estará a trabalhar. Quando for a vez dele, eu estarei a bulir. De maneiras que quero agradecer às nossas chefias por serem tão fofas! E desejar-lhes que quando estiverem de papo para o ar a gozar do contentamento familiar pensem em mim... e nos meus filhos, e no namoro, e nos passeios à beira-mar, e nos petiscos, e nas sestas, ... que estarão a gozar... e eu não! (Soou a profunda raiva contida?! Nãããão!)

sábado, 20 de julho de 2013

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Já percebi porque é que ela relativiza tudo!

Madalena - "Sabes, conheço bem o Einstein!"

Eu (apanhada de surpresa) - "Conheces bem... quem?!"

Madalena - "O Einstein!"

Eu (ainda abesbílica) - "Desculpa, repete lá quem é que conheces!"

Madalena - "O EINSTEIN!! Conheço-o desde pequena, desde que era mais nova! Sabes que ele era americano?!" 



E quando eu digo que esta miúda veio ao mundo com um propósito muito claro - o de me enlouquecer - ninguém acredita!

Eu falo, falo, falo....

... que tenho saudades do reboliço da cidade, que me faz falta a adrenalina da multidão. 
E depois, depois chego a casa ao final de um dia de trabalho e consigo dar um mergulho para limpar a alma, rir muito enquanto ando de baloiço, jantar ao ar livre e beber um copo ao som da maldita coruja. 
E depois, depois peço desculpa, porque a ingratidão é feia!

sábado, 13 de julho de 2013

Assumindo o meu lado lunar

Percorro os blogues e vejo cheiro a verão, a vidas felizes, a viagens, a sorrisos e muito amor. E é então que mantenho em mim uma questão constante: esta gente nunca acorda de mau humor? Nunca se zanga com a vida, larga uns asneirões e bate com a porta? É tudo bonito, cor de rosa e cheio de fotos para o Instagram?
E, quando alguns deixam cair o véu, e assumem que a vida não lhes vai de feição, eu.... fico contente. É o meu dark side no seu melhor, mas assumido (que é coisa de gente boa). Não que inveje ou torça para que a vida dos outros corra mal (de todo), até porque nem os conheço pessoalmente, mas fico aliviada por saber que nem sempre conseguimos encarar a vida com base num positivismo forçado ou improvisado. Basta de apregoar receitas saudáveis e tempo e disponibilidade para as organizar, casas impecáveis, putos sempre bem vestidos, viagens de sonho,... quando a vida não é isso, ou não é só isso. Os putos também andam ranhosos, os pais também dão puns, nem sempre conseguimos chegar a todo o lado, também se compra roupa em lojas baratas, nem sempre temos um sorriso na cara. Somos pessoas, feitas da mesma matéria. Vamos lá assumir isso e deixemo-nos de hipocrisias, senhoras!

sexta-feira, 12 de julho de 2013

A avaliar pela meteorologia...

... só posso concluir que o Sr. São Pedro dá para político! Na mesma semana estiveram 45º e chuvas torrenciais! Na mesma semana eu já equacionei a compra de um ar condicionado e agora estou embrulhada num cobertor! Está-se bem bacano! Continua a prometer e a não cumprir. Assim como assim a malta continua a dizer mal de ti na mesma!

Páginas da Vida

Há momentos na vida em que é preciso redefinir tudo. Ser puxado para terra e repensar prioridades. Ver para além do óbvio. Limpar neblinas e nevoeiros. Assumir fraquezas. Enfrentar demónios. Abandonar a zona de conforto e sair de peito feito. De espada em punho. Não é fácil, muito menos confortável. É sublinhar defeitos, rugas e pregas da vida. Um virar de página temido, aterrador, mas que deixa a segurança de estar rodeado de quem nos ama e de saber que caminhar de mãos dadas pelas trevas tem outra proporção.

Um dia teria de ser ... e hoje é o dia.
 

terça-feira, 9 de julho de 2013

Um motivo suficientemente plausível para morar numa quinta:

 - Não ter vizinhos!

É que a avaliar pela forma como a minha filha às 23h chorava de birra de sono e pedia uma Redler (sim, a nova cerveja da Sagres).... era critério para, havendo vizinhança que o ouvisse, ter a GNR à porta!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

A pedagogia ao uso das mães espertas!

O Joãozinho está a regar tudo o que verde nesta casa.
A Madalena está a apanhar a roupa do estendal.
Eu... estou no sofá a ver a novela das sete!

Estes emigras são do camandro!

[Antes que comecem a alvitrar teorias e a lançar conspirações manhosas, aqui vai um beijo para todos os que têm a imensa coragem de deixar o nosso país e começar de novo noutro sítio com hábitos e língua diferentes. Batem forte cá dentro!]
 
Nós, tugas, enquanto emigrantes somos um espectáculo! Adoro assistir a este fenómeno: Chega o Verão e voltamos para as santa-terrinhas. Esvaziamos prateleiras dos supermercados (a economia nacional agradece!) como se não houvesse amanhã. Albarroamos velhotas e carrinhos de bebé. Falamos em português dentro do supermercado, mas quando chegamos à caixa damos de falar em francês e dizer que não entendemos. Na praia então somos um petisco: "Arrête Jean Pierre, arrête Jean Pierre.... caraças do miúdo que não me ouve!". Nos parques de estacionamento ignoramos sinais e marcas, porque lá fora é diferente. Nos hospitais somos caóticos, porque lá fora não é nada assim e esperar não é propriamente a nossa especialidade.
De maneiras que é assim... eu divirto-me imenso e eles também (tenho a certeza!)

sábado, 6 de julho de 2013

Das necessidades dela...

Madalena: "Sabes pai, a E. vai a um psicólogo!"

Pai: "Vai aonde???"

Madalena: "A um psicólogo!!!! E eu também quero ir!"

Pai: "Ai sim?!?! E queres ir a mais algum lado????"

Madalena: "Depois podemos passar na Claire's!"


Madalena Maria, 4 anos 
Pai João, 40 anos e a começar a ter um porradão de cabelos brancos!  

É por isto que adoro trabalhar com crianças #4

Perante a notícia da gravidez da mãe, perguntamos-lhe:
 - "Então D., vais ter um mano ou uma mana?"
 - "É o que o Senhor quiser!"
 - "Qual Senhor?"
E ele aponta para o Céu!

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Cada um tem o que merece....

..... só pode! 
Porque pelo vejo, devo ser a única bloger a trabalhar com este calor irrespirável!
Como diz o meu homem: "Estudasses!" 

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Já os vi começar por menos...

Há dois dias que acordo com uma dor de cabeça inexplicável. E penso sempre na sua origem: TPM? Não. Cansaço? ó pá, isto já é crónico! Mas porque raio me dói tanto a cabeça de manhã?
A resposta veio do marido: há dois dias que ando a dar no gin tónico (o Hendrick's é um espectáculo!) ao deitar...
Esquecidinha que eu sooooou!

Orgulho de mãe é coisa séria!

Eu sei que é feio.
A minha mãezinha não me educou assim.
Eu própria sou reservada neste aspecto.
Não gosto de gabarolices (não gosto MESMO NADA).
Mas hoje não me contenho...
Saíram as notas do meu-mais-velho.
Catano de miúdo, que é um espectáculo!
8º ano aqui vai ele!
E eu babo, e babo e babo,....
Que Deus o proteja e o mantenha sempre assim.
Ah caraças, se hoje não leva umas beijocas bem dadas naquela cara de adolescente que já não aprecia estas afeições (diz ele, mas depois derrete-se quando está no meu colinho!)
 
Vou aproveitando estes momentos, que tenho para mim que a mai-nova vai ser mais borga e jolas!

terça-feira, 2 de julho de 2013

??

Gare Oriente, Lisboa.
Diz uma avó à neta:
"Olha, queres ir ao 'adicionário'? É aqui!"

Já me sinto pouco culpada, sabes?!

Saio para ir trabalhar.
Reveso-me com o pai.
Chegada ao trabalho recebo um telefonema... dela:
 
"Ai foste trabalhar?! Não ouves nada do que eu te digo. Sabes perfeitamente que eu estou doente das borbulhas e saíste de casa?! Espero que trabalhes só um bocadinho e venhas logo!!! Há coisas importantes aqui em casa.... agora vou jogar com o mano! Beijinhos!"
 
Assim... a seco, sem pausas, sem me dar oportunidade de falar! Tau!
Agora aguenta-te com o sentimento de culpa que ninguém te manda ires trabalhar!