domingo, 31 de março de 2013

Páscoa Feliz

Interrompi umas trincadelas nas amêndoas para desejar uma Páscoa Feliz aos que por aqui passam.

E cuidado, não se engasguem!

sexta-feira, 29 de março de 2013

- "Boa, hoje vai dar aquele filme que eu gosto muito... o Ratatona!"

(...)

E a seguir, o pai cospe o chá que estava a beber!

Mada e o Gang da Laca

Os meninos foram passar uns dias a Lisboa a casa dos meus pais, segundo a minha mãe foram "civilizar".
No regresso, comentava a minha mãe:
- "Bem, a Madalena é um perigo! Fui lanchar com as minhas amigas e ela sai-se com cada comentário mais inapropriado... e depois, quando a corrigimos piora!"
Resposta do meu marido:
-"Estou a ver que a menina não teve admissão imediata no Gang da Laca!"

quinta-feira, 28 de março de 2013

Juro que se os visse na rua mudava de passeio

O meu marido levou a minha filha ao dentista vestida, não com a roupa que eu deixei separada para ela vestir, mas com a roupa que ela quis vestir... atentem aos pormenores:
- saia de folhos, modelo Cyndi Lauper, azul às bolinhas brancas (H&M, escolhido pela Mada, patrocinado pela avó);
- ténis cor de rosa aos corações (Zippy, escolhido pela Mada, patrocinado pela avó);
- collants azuis;
- sweat azul, às riscas com um coração vermelho (H&M, escolhido pela Mada, patrocinado pela avó).
 
Daqui, podemos depreender duas coisas:
 
1. Tenho de ir com a minha mãe ao médico, porque não deve andar bem - só assim se justifica, tamanha quantidade de compras bimbalhonas;
 
2. Tão cedo não vou ao dentista - a imagem que a pequena criatura deixou, é demasiado traumática, certamente que serei apontada como 'a mãe da Rute Marlene cá do sítio'.
 
foi basicamente assim que Madalena Maria desfilou....
muito antidepressivo tenho eu de tomar!

look primavera 2013

Mudei o visual do blogue porque:
1. Embora não pareça, a Primavera chegou
2. A imagem que tinha, por vezes não deixava perceber bem o texto
3. Porque estou com neura
4. Porque ou mudava a imagem do blogue ou ia enfardar chocolates ... (os sacanas dos chocolates continuam ali!)
5. Any questions??

Só falta mesmo o Clooney!

Chama-se Aeroccino+ e tem feito as delícias da malta cá em casa. É um acessório da Nespresso e faz espuma de leite (quente ou fria, como queiramos) super cremosa e deliciosa.
 
Estamos fãs e não queremos outra coisa!
 
Pela manhã e à tardinha, aqui no campo é assim:


Hoje estou particularmente protestante

Quando toda a gente está de férias, quando toda a gente teve direito à tarde de quinta-feira, alguém me sabe dizer por que raio eu estou a trabalhar?!
 Fónix!

quarta-feira, 27 de março de 2013

Da essência humana

Penso tantas vezes nisto:
- Por que é as pessoas são más?
Penso efectivamente nisto. De uma forma genuína e infantil.
Será que é da mesma forma que existem pessoas boas? O que as torna assim? Por que não mudam? Por que não equacionam sequer que estão erradas, é isso? Por que a vida as tornou assim e já não conseguem ver para além do mal?
Infelizmente, a vida fez-me cruzar com algumas. Poucas, felizmente. Mas suficientes para perceber que a essência humana tem coisas estranhas e densamente perturbantes.
Tenho pena por elas.
Porque não percebem que a vida é finita, e depois toda a maldade e angústia foi em vão.
Tenho pena por elas.
Porque não percebem que a vida é tão curta e tão boa de ser vivida. Tão maravilhosamente saborosa.

terça-feira, 26 de março de 2013

Se eu fosse super-herói...

... ficava indecisa sobre o poder que gostava de ter! 
Sim porque eu gostava de ser super-heroína! Mas como salvar o mundo dá imenso trabalho, resolvia a coisa de forma muito prática: Deus nosso Senhor dava super poderes a quem merecia (pois claro que eu fazia parte da restrita lista, isso nem sequer está em questão) e depois cada um fazia a sua vidinha com os seus poderes iluminados, que é como quem diz "isto não é para quem quer...é para quem pode" e pronto lá ia eu e a minha família (toda dona de super poderes) feliz e contente.
Só que eu ficava super-indecisa (como era super-heroína, ficava super-tudo!) acerca dos meus poderes: a invisibilidade era fantástica e dada um jeitaço!; a rapidez era óptima, tinha sempre tudo organizado e como despendia de imensa energia não engordava; como sofro do pecado da preguiça, a telecinese sabia que nem ginjas, ui, até parece que já estou a ver esta casa num virote, a arrumar-se só com o poder da mente e eu esparramada, a beber um Hendrick´s!
 
Mas pronto, até lá... vou até ali passar a ferro e já venho! Pode ser que entretanto caia um raio de kryptonite sobre a casa e a coisa se dê!

Sou uma pessoa ranhosa

Percebo disso quando analiso as despesas de saúde ....
 

segunda-feira, 25 de março de 2013

Estou na idade dos porquês


  1. porque é que não me sai o Euromilhões
  2. porque é que todas as semanas ligo para aquele programa da TVI que dá ao domingo à tarde, e nunca me sai dinheiro
  3. porque é que estou novamente constipada (é garantido que o virús da gripe é meu amigo)
  4. porque é que o cabelo só fica giro quando sai do cabeleireiro
  5. porque é que a comidinha boa engorda
  6. porque é que a mão direita fica mal pintada
  7. porque é que as casas se sujam, devia haver um sistema de manutenção constante
  8. porque é que os homens (em particular) atiram a roupa para o chão
  9. porque é que temos pêlos
  10.  .....

 
 


Ode à Primavera e à família inteira

Que venha a Primavera, o Tio Artur e o Primo Luís
Adeus ao Inverno, às ranhocas e às viroses
Vivam as flores e as alergias
Que reine o sol e as andorinhas
Venham os pombos e as cagadelas, os insectos e as minhocas
Queremos céu azul, nuvens brancas
Flores azuis e nenúfares
Continuamos enchoiriçados
Cheios de frio a valer
Dias de sol onde estão
Dos kleenex já nem posso ver!
Primavera, Primavera
A ti, só te vi no calendário
Vento, frio, e chuva forte
Isto está que não se pode

quinta-feira, 21 de março de 2013

Un moment... vou ali vomitar e já volto!

Quando li a notícia que este fulano tem a distinta lata de voltar ao país que, só por acaso, até ajudou a afundar e que... só por acaso até vai ser comentador político!! Dá-me umas náuseas daquelas.
 E ainda se vangloria de não receber qualquer retribuição monetária por isso... quer algum prémio ?! coitadinho, com o que nos roubou deve dar para sobreviver! 

quarta-feira, 20 de março de 2013

Parece que é na 6ª feira que a vida do casal Giló e Loura chega ao fim.
Já estou a imaginar os comentários à mesa "que tal a perna da Loura? passa-me o lombo do Giló!" ....

 


 

terça-feira, 19 de março de 2013

Homens, atentai aos espinafres!

Fartos do "come a sopa!", "puxa o prato para junto de ti!", "come só três colheres, o n.º dos teus anos", optámos por atribuir uma garfada a uma parte do corpo " esta é para o cabelo... faz tão bem! (...) esta é para os braços, que bem que se vão mexer!"
A verdade é que já usamos isto há imenso tempo e lá vai resultando.

Ontem, ao jantar baralhada com a anatomia, Madalena interviu rapidamente junto do irmão antes que fosse tarde de mais:

"Mano, não comas os espinafres, são para fazer bem ao pipi!"

Aos dois melhores pais do mundo:

 - o meu
 - o dos meus filhos

UM DIA MUITO FELIZ!
 


segunda-feira, 18 de março de 2013

Esta pagava para ver...

Enquanto o João ensaiava na orquestra, pai e Madalena passeiam a Ginja em plena vila de Óbidos, quando 'piquena' Mada levanta questão fulcral:

 "Quero fazer cocó!"
 
 
O pai esfrega a cabeça,
lembra a criança que estão com a cadela,
que não pode entrar em nenhum café
criança ignora-o,
pai desespera
(...)
pai entra num café e dirige-se à funcionária:
"A minha filha quer ir à casa de banho, importa-se de ir ou com ela ou segura na cadela durante uns segundos por favor?!"
 
 

Rir dos nervos

Li o blog Os Dias da Bi e dei comigo a pensar na quantidade de ataques de risos embarasosos que já tive.
Sou de riso fácil, MUITO  fácil (proporcional ao choro, verdade seja dita! sou uma torneira andante). E não é só a questão do riso fácil, é que o meu problema está no riso muito pouco discreto e que a dada altura já não se sabe do que rimos, se da situação, se do meu riso.
Recordo-me dos momentos de antecederam o funeral do avô Zé, o avô do meu marido. O Avô Zé, certamente que lá do alto, riu das minhas gargalhadas que ele tanto gostava. Estávamos em pleno Alentejo, o momento era de profunda dor, que eu sentia e muito, mas eis que ao virar da esquina de um dos quartos num acordar de uma noite muito mal dormida, vejo o tio A., vindo de terras de Sua Majestade em roupa interior num corpinho copo de leite do mais escanzelado a fazer agachamentos em plena cozinha... não me contive! Um ataque de riso daqueles! As velhas carpideiras não me perdoavam e eu ali, naquele espectáculo de riso incontrolável.

E no meu casamento, normalmente na caminhada ao altar as noivas choram... eu ria, e ria e ria!
 
E em trabalho de parto, quando nem um dedo de dilatação conseguia, nem uma contracção, já se tinha percebido há muito que seria cesariana só nos restava esperava, a rapariga do lado coitada desesperava com dores, só dia "aí nossa senhora" fazia as respirações que lhe ensinaram na preparação  para o parto, o marido dela cirandava desesperado, e eu... ria!

São muitos os meus surtos, e normalmente surgem nos momentos menos apropriados: jantares formais, reuniões de trabalho, atendimentos (sou assistente social...e mais não digo! os meus atendimentos com a E. eram épicos!), quando conheço alguém pela primeira vez, perante situações de stress, quando está toda a gente em pânico, num acidente, em hospitais, nas missas,... ui em missas sou especialista (sou o ódio das beatas),...

É terrível! É mais complicado que chorar. Porque quando chorarmos, as pessoas têm complacência, quando rimos sentem-se gozadas.
E depois é tramando, porque mesmo que o ataque de riso já tenha passado, basta uma palavra, um pensamento, para tudo desabar outra vez,....


Aqui vai um vídeo que me diz muito... era menina para isto!

sábado, 16 de março de 2013

Problemas técnicos

O meu computador está a dar as últimas. Como diz uma colega minha "está a dar o peido mestre". Por isso, se este post for publicado é porque a murraça que que dei funcionou!

quinta-feira, 14 de março de 2013

Os sacrifícios de uma estrela

Estávamos as duas na cozinha e ela diz-me que vai à casa de banho. Passados segundos ouço-a na sala:

Eu: "Então, não ias fazer xixi?!"

Ela: "E vou... Só vim aqui dar um espetáculo e depois vou!!"

 
 
$%&#$%

Entre o Papa e o Show Biz...

Estávamos nós coladinhos à televisão a ver o novo Papa (que já agora, simpatizei bastante - adoptou o nome do meu afilhado, tem sentido de humor e tenho esperanças que dê um abanão no sistema) quando minha Liliane Marise começa a apagar as luzes dos candeeiros da sala ...

Pai: "O que é que estás a fazer?"

Mada: "Estou a apagar as luzes....Vou dar um espectáculo! "



É a altura indicada para utilizar a expressão: OMG!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Palmeirão, Ribeiro, Vandinha e Markl ... os máiores!

O que eu e o meu filho nos rimos de manhã à custa disto...

 
Só por me sacarem gargalhadas logo pela manhã já merecem o mundo. Digo eu, com propriedade, que de manhã o humor assiste-me de forma gradual e moderada.

A importância de um dedo

Ora como se explica a uma criança de três anos que pode apontar todos os dedos menos um em específico: o chamado "dedo da asneira"?!
Abre a mão, fecha a mão, abre a mão e estica o anelar - sim, esse pode ser, abre a mão, fecha a mão, abre a mão e estica o indicador - sim, esse também pode ser, mas se fechares a mão e esticares o dedo médio.... é uma asneira! Chiçá pá!
É que agora passa o tempo todo a perguntar:
 - "Posso esticar este dedo?"
 - "Pooodes..."
 - "Posso esticar este dedo?"
 - "Pooodes..."
 - "Posso esticar este dedo?"
 - "Sabes bem que não"
 
 

terça-feira, 12 de março de 2013

dos 37 anos

A foto que faltava de um aniversário com pneumonia


atentai aos pormenores

Tenho de me render... a minha filha vai ser bailarina pimba!

Dizia eu ontem à minha mãezinha que jamais me passaria pela cabeça que os nome Chayene e Liliane Marise figurassem do meu vocábulo quanto mais do meu quotidiano.
Pois que minha rica filha bimbalhona do pior gosta mesmo é destas personagens de novela. Fala como elas, dança como elas, pousa como elas, ... ó-benzá-ó-deus anda uma mãe a criar uma filha para isto! Um dia destes rendo-me e lá lhe compro umas plumas!
 

segunda-feira, 11 de março de 2013

Adoro ouvir as conversas destes dois

Os dois, à conversa, no quarto dele:

Madalena - "Queria tanto que a mãe tivesse um bebé na barriga!"

João - "TÁS DOIDA!"

Madalena - "Ó João, não se diz doida, que eu não sou doida. Eu queria uma mana!"

João - "Bolas...quando tu estavas na barriga da mãe ela passou 9 meses a vomitar e se a avó não vinha cá a casa cozinhar ou nós não íamos a casa dela comer... o jantar era corn flakes! Eu estou farto de corn flakes"

Madalena - "Mas eu gosto de papinha cerelac!"

Tinha sido um momento tão lindo, pá.....

O pai foi com a Madalena ao dentista. 'Piquena Mada' foi colocar massa nos dentes maltratados pelos corticóides. Correu tudo lindamente. Ela foi linda. Tão linda, que o pai para celebrar o feito a presenteou com uma ... pastilha elástilha!!! Goooooood!

Resultado: Amanhã volta ao dentista para repôr a massa que foi colada à pastilha! E já instruí a Mada para desbroncar o paizinho!
O que é bom, muito bom, mas mesmo muito bom.... é ao fim deste tempo todo de vida a dois ele me continuar a mandar sms românticos. Ele não liga a datas, é um falso desligado, finge que não se apercebe de nada e está sempre em cima de tudo, surpreende-me quando menos espero e eu ...adoro.
Eu, logo eu que, sou movida a afectos, dependente de amor, viciada em paixão.

sábado, 9 de março de 2013

Chiclete

Hoje estive a reviver com os meus filhos a boa e bela arte de fazer balões com pastilha elástica.
Não é bonito, nem sequer elegante. Roça até o nojento. Tivemos mesmo que nos escapulir para fora de casa porque a senhora minha mãe já estava possessa connosco.
A proeza do dia foi rebentar balões no nariz da Madalena!
Eheheh!! Ah... as coisas simples e boas da vida!

P.S: Claro está que usámos o suprasumo das pastilhas: SUPERGORILA!!

quarta-feira, 6 de março de 2013

Mada, a nova Mafalda

Mada:  "Bolota, anda podes deitar-te na minha cama!"

Eu: "Nããããão, não pode!"

Mada: "PORQUÊ?"

Eu: "Porque a Bolota é uma cadela, a cama dela está na rua, ela anda o dia todo na rua, deita-se em montes de areia, está suja..."

Mada (já a gritar): "Mas a minha cama é tão limpinha e fofinha..."

Eu: "Precisamente... e é assim que vai ficar!"

Mada (agarra na chucha, põe-la furiosamente na boca e vira-me as costas aos gritos): "Gostas das coisas arrumadinhas e os outros também... coitadinha Bolota, chora que a mãe não te quer! Diz que estás suja! COITADINHA!"

Quando um gajo tem azar até os cães lhe mijam pros pés

Fónix, que esta maré de azares baixou aqui no pedaço e não desgruda.

Agora tenho a miúda ranhosa, ao abrir a tampa da bimby salpicou-me sopa para o peito e fiz uma queimadura bem feia, tive um furo no pneu, das raríssimas vezes que saio à rua (para fazer exames e ir ao médico) apanho uma molha de cão,... God!

Agora vou fazer um exercício de positivismo para ver se a coisa melhora: se a miúda está ranhosa é porque tem nariz para respirar; se queimei as mamas devo agradecer a oportunidade de ter bimby; se furei o pneu devo agradecer a possibilidade de ter carro e de ter havido uma alma caridosa que me alertou antes que começasse a andar; se apanho molhas é porque.... é porque o ceú existe; se sofro de tédio por não poder sair de casa devo agradecer o facto de ter casa; se tenho uma pneumonia devo celebrar o facto de ter pulmões;....
Ahhhhh.....vistas as coisas assim até se encara a coisa de outra maneira!

sábado, 2 de março de 2013

Estou cansada de tanta maleita, de tanta dor no corpo, dos calafrios e das dores de ouvidos, das enxaquecas infernais que só aliviam vomitando, dos comprimidos gigantescos, da tosse e da expectoração verde, de não poder por o nariz fora de casa, de ter feito do saco de água quente o amigo inseparável,... F%&#

"A rapariga que perdeu o coração"

Quando o João era pequeno comprei o livro da Margarida Rebelo Pinto "A rapariga que perdeu o coração". Sempre que lho lia chorava, e agradecia por ele adormecer para que eu pudesse parar de ler em voz alta.
O livro conta a história de uma menina cujo pai foi emigrar e não mais voltou e que então pediu para que o seu coração ficasse perdido dentro de uma concha no fundo do mar, mais tarde cresceu e resgatou o coração, mas para mim é uma história que tem tanto de linda como de difícil... difícil porque nem sempre é fácil explicar aquilo que se tem dificuldade em entender.
O João adormecia, porque se calhar no meio do meu apertado coração, sempre consegui transmitir serenidade suficiente.
Ontem a Madalena pediu para que lho lesse. E eu li....e chorei! E ela olha para mim e diz "não chores, a menina é feliz. sabes que os pais voltam sempre, não sabes?!"

Esta família tem uma relação muito particular com os Papas...

Eu, aos 3 anos:
 - "Mãe, o Papa também faz cócó?"


Mada, aos 3 anos:
 - "Mãe, o Papa chama-se Papa porque come tudo? E come tudo o que tem no prato????"

Week on hell

Resumo da semana:

 - gripe
 - gripe à séria
 - ida à médica: antibiótico, anti-inflamatório, anti-pirético, e outros tantos 'anti-qualquer coisa'
 - caminha, muita caminha
 - a gripe não apazigua
 - volta à médica
 - vai para o hospital: atendimento de merda por uma besta a fingir que era médica
 - pneumonia
 - otite
 - aniversário na cama
 - muito mimo
 - avó vem cuidar da filha e dos netos
 - canjinha
 - cházinhos
 - muitos telefonemas e mensagens queridas
 - muito mimo
 - coração quentinho
 - tanto miminho bom!!